The Big L. – Roxette (18/30)

Férias escolares de 1996, eu tinha ido assistir o filme do Spawn no cinema do Shopping Eldorado com meu irmão. Nunca mais assisti esse filme de tão ruim hahaha. Nesse rolê, meu irmão tinha comprado o cd “Don’t Bore us! Get to the Chorus” com os maiores sucessos da banda sueca Roxette. Chegamos em casa e cada um foi pra um canto, ele foi ler gibi e eu fui jogar video-game, eu lembro que era Super Mario All-Stars, aquele jogo do Super Nintendo que compilava todos os jogos do Super Mario Bros. Nesse meio tempo, ele colocou esse album pra tocar durante toda a tarde e comecinho da noite, antes de nossos pais chegarem do trabalho. Como já disse em outro post, era um ritual, jogar video-game ouvindo uns cds nada a ver.

Esse album do Roxette me cativou. Achei a voz da cantora Marie Fredriksson tão flúida, suave, momentos certos de nivelar o tom de voz e segurar uma nota. E as composições de Per Gessle bem trabalhadas e afinadas. Surgia ae uma paixão que ia durar longos anos. Eu viciei nesse CD. Ouvia a todo momento, minha adolescência foi marcada com essas músicas. Cada uma tinha uma história diferente. Suas musicas serviam de trilha sonora pra novelas e filmes, como em “Uma Linda Mulher” (It Must Have Been Love) e o próprio filme do Mario Bros! (Almost Unreal).

Nessa fase de descobrir a banda, na mesma época, eu estava de férias escolares, tinha acordado umas dez da manhã eligado a tv pra ver clipes aleatórios que passavam no Verão MTV. Estava exibindo o clipe The Big L. de Roxette, como todo um tema de circo, burlesco, coração de fogo, acrobatas, a banda tocando num fundo azul e vermelho, achei bem engraçado. Até ali eu aó tinha ouvido as musicas, quando vi o clipe pirei hahaha achei o máximo e super bem feito (na época era). Curti esse cd por tres anos. Sem conhecer os outros albuns ou musicas de Roxette.

Dia 29 de julho de 1999 comprei o cd “Have a Nice Day”, lembro até hoje do cheirinho da embalagem do cd, do encarte, das fotinhos, de ouvir as músicas e cantar hahahah Aprendi inglês utilizando essa técnica, ouvindo a musica e cantando, sacando a pronúncia e a escrita. Esse album continha a belíssima musica I Wish I Could Fly. Maravilhosa! Vivi esses dois cds por mais três anos, até que no colegial eu tinha um amigo que tinha a internet melhor do que a minha e pedi pra ele procurar os outros albums de Roxette no Napster. Ele gravou as músicas que tinha achado num primeiro momento, até conseguir achar todas, em 4 meses. E lá foi eu vivenciar toda a nostalgia Roxette de 1996 em 2001, com essas músicas. Meu gosto por músicas lado-B veio nessa época, de tão sofrido e ansioso que eu fui em procurar as outras músicas deles anos depois.

Alguns anos depois, eu fui comprando todos os CDs em sebos nas minhas caminhadas (já citadas nos posts anteriores rs). Achei eles por um preço bem barato (de cinco a quinze reais, sério!). E que bom que tava esse preço, odeio quando chego na loja, acho o que quero e tá super caro! Em 2001 lançaram o Room Service, que também comprei na primeira semana de lançamento (olha o sr.ansiedade). E dez anos depois lançaram o Charm School. Eles tinham entrado num hiatus e seguido sua vida. Marie teve um cancer na garganta, já superado. Meu irmão me deu o DVD Ballad & Pop Hits com os todos os clipes da banda em 2003, agora sim, podia estudar e curtir Roxette a hora que eu quisess, e que belo presente, adoro video-clipe!

Em 2011 eles vieram para o Brasil (no Credicard Hall)  numa turnê e tive a felicidade de ir, foi incrível, me senti realizado, cantei, chorei, pulei, aquelas coisas que você sente quando vê sua banda favorita no palco. Um ano depois lançaram o Travelling, com músicas que gravaram nessa última turnê mundial. Não achei tão encantador quanto os outros albuns. Queria muito que eles voltassem com tudo e fizessem mais clipes, mais turnês, estou aqui pra tietar hahaha

She’s the top, she’s got the world on a string.
She makes me boogie, makes me do anything, yeah yeah.
Hey now, touch the sky,
You’ve got a certain kind of look in your eyes.

Well, she’s a miracle, she’s all that I need
Like the water and the air that I breathe, yeah yeah.
Hey now, reach the sky,
There’s a certain kind of look in your smile.

And I know what love can do,
Yes I know what hearts can do.

The big love is taking the wheel,
The big love goes head over heels,
The big lust, bring it into
The small world, the bigger the better.

Big love, waiting to catch the big one,
Head over heels,
The big one, bring it into the small world.
I’m building the big big love,
I’m building the big big love.

It’s kinda strange, a bit mysterious,
I got to take it oh so so serious

Hey now, touch the sky,
You’ve got a certain kind of look in your eyes.
It used to be so hard, so lonely at night,
Well, she’s my baby and I’m feeling alright

Hey now, move the sky,
There’s a certain kind of look in that smile.
When I’m making love with her,
When I’m making love to her, yeah!

The big love is taking the wheel,
The big love goes head over heels,
The big lust, bring it into
The small world, the bigger the better.

Big love, waiting to catch the big one,
Head over heels,
The big one, bring it into the small world.
I’m building the big big love,
I’m building the big big love.

It has to be a big thing.
It’s bringing me to my knees.
Has to be a big thing,
Big thing.
You know what I’m saying

The big love is taking the wheel,
The big love goes head over heels,
The big lust, bring it into
The small world, the bigger the better.

Big love, waiting to catch the big one,
Head over heels,
The big one, bring it into the small world.
I’m building the big big love,
You know I’m building the big big love.

Big love,
Building the big love.

Big love
Big love
Big love
Big love
Big love
Big love

chasefaster

chasefaster

Me chamo Edu D’Angelo, mais conhecido como Chase Faster! Nasci em Outubro de 1984 (Libra com ascendente em Libra) e sou um Proudly Nerd assumido! Sou apaixonado pelo universo Geek (Action Figures, Comics, Animes, Filmes dos Anos 80, Seriados antigos, Teatro, Circo, Exposições e Shows) e desde 2006, crio um Setlist mensal com as músicas que mais ouvi naquele mês. Dez anos depois, estou aqui relatando tudo o que venho vivenciado por São Paulo, com muita nostalgia oitentista.