#09 RURI (12012)

12012 (イチニーゼロイチニ ichi nī zero ichi ni)  é uma banda de visual kei da região de Kansai no Japão. O nome interessante da banda vem do código penal da Califórnia, que significa “posse de arma perigosa”. O grupo concentra seu trabalho em torno do conceito de “loucura dentro de um ser humano” (人間 の 内 面 に お け る 狂 気 ningen no naimen ni okeru Kyoki). Formada em 2013, com cinco membros, as letras são sempre escritas pelo vocalista Miyawaki Wataru que usa suas canções para criar uma história. Seu estilo musical tende a ser um rock pesado, com um fundo obscuro e agressivo.

O estilo musical da banda mudou ao longo dos anos. Começando como uma banda de rock alternativo com influências metal e punk, após o primeiro álbum “Play Dolls”, o estilo mudou para um som mais radio-friendly que poderia ser descrito como pop-rock. Após a saída do guitarrista Suga, a banda lentamente voltou ao terreno mais pesado. O estilo atual da banda poderia ser descrito como metal alternativo com influências progressivas.

Seus primeiros albums eram bem obscuros, cheios de gritarias e solos de guitarras, um som bem sujo, somado à voz rasgada de Wataru. Em 2009, com o album “Mar Maroon” deixaram essa pegada pesada e foram pra uma linha mais pop e trechos estilos “rap”. Particularmente odiei essa fase, acho que não fez muito sucesso lá fora também, obrigando eles a voltarem ao estilo inicial, com os excelentes albuns SEVEN (em 2010) e o homônimo 12012 (em 2012), com um som pesado e bem arranjado.

De 2004 a 2006, lançaram alguns mini-albums que fez parte da minha história de J-Rock, eu escutava nos meus antigos trabalhos, eu linko algumas coisas passadas com essas músicas, tipo caminhadas de volta do trabalho, na hora do rush, ou um happy hour com os amigos. Acho a voz do Wataru envolvente e sedutora. Venho com a música RURI pra demonstrar todo esse potencial sonoro dessa banda. É uma das poucas músicas que me arrepiam só de ouvir. Experimenta ouvir num dia chuvoso e cinza hehe


Ruri (Lápis-lazúli)
Adeus.
Você acena com a mão, distante
Aí está você, quem eu não sei o nome
É, adeus,
É, adeus.
Adeus
Jogando sozinho, olho para ti, que tanto se esconde
Está tudo bem, está tudo bem, não é?


Você bate na porta do meu coração
E sussurra “está bem?”, você, que me chama repetidamente com essas palavras
Como se inocente fora
Atormentando-me sozinho, e sem querer ver ninguém
A solidão se espalha nesse mundo, nesses olhos


Nos olhos, que mortos foram em vermelho
Persiste uma dor de cor lápis-lazúli
Como se fosse um DejaVu
E esse trauma infame, essa ferida ainda dói em silêncio


Distante.
Com voz baixa,
Chamam-me de algum lugar
Está tudo bem, está tudo bem.
Distante.
Os segundos contados que ressoam são apenas três
Está tudo bem
Está tudo bem, certo?


Você bate na porta do meu coração
E sussurra “Eu te amo”,
Me enche de feridas e nenhuma cura
Atormentando-me sozinho, e sem querer ver ninguém
O encanto do coração se deforma e é rasgado


O dragão vermelho da melancolia
Voa, dolorosamente, no céu de tristeza
Um desenho de um coração nublado
Com raiva, seu coração apenas chora.


Você não vai amar ninguém, porque você não pode mais amar,
Nas profundezas do meu peito, eu fiz um juramento
Você não vai amar ninguém, porque você não pode mais amar,
Com seu lindo olhar de cor lápis-lazúli…


Nos olhos, que mortos foram em vermelho,
Persiste uma dor de cor lápis-lazúli
Como se fosse um DejaVu
E esse trauma infame, essa ferida ainda dói em silêncio


O dragão, aflito, entristece, melancólico
Se apaixona por um mundo solitário
Desejando que um dia isso mude
Vai sonhar e chorar desesperadamente…


Você não vai amar ninguém, porque você não pode mais amar…
A razão para que essas lágrimas tanto derramem
Você não pode mais amar
Com esses lindos olhos lápis-lazúli…


Recentemente lançaram o mini-album XII, com baladas e gritarias, a fórmula perfeita e o carimbo da banda. Lançaram também dois album BEST OFs: o PUPA (com músicas mais calmas/baladas) e o LARVA (cheio de gritaria das antigas). Recomendo ouvir doses de um e de outro. É uma fabulosa banda de Visual Kei para se acompanhar hoje em dia.

Outras faixas favoritas:
• Venom
• THE PAIN OF CATASTROPHE
• calf love

 

 

 

chasefaster

chasefaster

Me chamo Edu D’Angelo, mais conhecido como Chase Faster! Nasci em Outubro de 1984 (Libra com ascendente em Libra) e sou um Proudly Nerd assumido! Sou apaixonado pelo universo Geek (Action Figures, Comics, Animes, Filmes dos Anos 80, Seriados antigos, Teatro, Circo, Exposições e Shows) e desde 2006, crio um Setlist mensal com as músicas que mais ouvi naquele mês. Dez anos depois, estou aqui relatando tudo o que venho vivenciado por São Paulo, com muita nostalgia oitentista.