#28 DANCE (Kiyoharu)

Em sua carreira de quase 2 décadas, Kiyoharu foi o frontman de duas bandas populares e de grande influência (Kuroyume e SADS) e como artista solo, trabalhou com artistas que vão de Sugizo do Luna Sea ao colega do ramo e veterano Morrie do Ziggy e Dead end. Sua característica mais marcante é a voz, com a qual é capaz de cantar de hinos punk cheios de raiva, à baladas emotivas e tudo que se possa imaginar entre essas duas coisas.
Outra característica marcante em relação a sua voz é o peculiar vibrato que Kiyoharu usa para sustentar notas que não muitos outros vocalistas conseguem atingir.

Escrever, cantar e compor não são as únicas coisas nas quais Kiyoharu é bom. Ele ainda toca guitarra, produz, administra seu próprio selo, e tem colaborado com vários designers para criar suas próprias roupas e acessórios.
Graças a seu estilo e ao tempo em que está no meio artístico, Kiyoharu influenciou e vem influenciando muitos artistas de hoje, especialmente, por exemplo, a banda Merry.
Biografia:
A carreira de Mori Kiyoharu começou na década de 80, quando ele foi membro das bandas SUS4 e Garnet. Depois de ambas terminarem, Kiyoharu se juntou com Hitoki, ex-baixista do Garnet, e formaram o lendário Kuroyume.

O Kuroyume surgiu no período conhecido como a ‘era dourada’ das bandas de visual kei, e o estilo da banda, bem como a sua música, refletia isso. No início de sua carreira, eles eram conhecidos pelas suas músicas ‘dark’ e tipicamente ‘visual band’, mas, com o passar dos anos, progrediu e se tornou mais pesada e melhor, diferente da maioria dos grupos que se tornam ‘mais suaves’ com a idade. Com a voz única de Kiyoharu e a habilidade de Hitoki no baixo, os dois se tornaram uma dupla dinâmica.
Graças a participações em diversos eventos de bandas indie, Kiyoharu se tornou amigo íntimo de HYDE, vocalista do L’’Arc~en~Ciel. Os dois juntos apresentaram um cover da música Husk da banda Gastunk durante uma apresentação em 1994. Os dois também tiveram uma coluna na revista SHOXX, que contava com algumas imagens um tanto sensuais e insinuantes.

No decorrer dos anos, o Kuroyume dominou a cena com sua mistura de punk e hard rock, e se tornou eventualmente uma das mais influentes bandas da história no Japão junto com X e Luna Sea. Muitos jovens artistas até hoje citam Kiyoharu como sua grande influência devido a sua habilidade musical que chega quase a perfeição graças a seus anos de estrada no showbiz. Entre esses jovens artistas encontram-se Gara do Merry e Kyo do Dir en grey (que foi roadie do Kuroyume); o segundo, a propósito, chegou a quase ser um clone de Kiyoharu em termos de cabelo e forma de se vestir.
Embora as coisas na superfície parecessem estar bem, começou a existir uma certa tensão entre Kiyoharu e Hitoki sobre como administrar a banda. Não havia uma concordância entre os dois, entao, eventualmente, decidiram se separar depois de sete anos de carreira juntos.

Não muito tempo depois, Kiyoharu apareceu de novo na cena com uma banda nova: SADS. Havia grande expectativa de que o SADS fosse soar como suas bandas anteriores (bem como as dos outros membros), mas eles surpreenderam a todos com o single Tokyo. A voz de Kiyoharu não mudou muita coisa, ele passou a usar mais vibrato, uma agradável mistura com o som punk alternativo de sua banda nova.
A banda acabou criando seu próprio selo, Fullface Records, em 2001, e passaram a lançar seu próprio material através dele. Lançaram também o Gendai Stoic do iniciante Merry e Kiyoharu se tornou produtor da mesma, fazendo-a bastante conhecida e falada no meio artístico. Em 2003, com o SADS dominando paradas de sucesso com seu estilo cada vez mais ‘dark’, o baixista Eiji Mitsuzono anunciou sua decisão de deixar a banda. A banda deu uma pausa.

Kiyoharu decidiu tornar-se artista solo e lançou seu primeiro álbum, Poetry, no meio de 2004. Alem de cantar, ele pode mostrar sua habilidade na guitarra. Trabalhou com varios artistas e o álbum acabou chocando seus fãs de uma maneira positiva com suas faixas suaves e melancólicas. Muitos trabalhos solo seguiram, cada um diferente do anterior em termos de estilo musical. Em vez de se limitar a apenas fazer música, Kiyoharu freqüentemente desenha suas próprias roupas e acessórios, de braceletes a jeans. Kiyoharu criou uma série de acessórios de prata.
Em 2006, Kiyoharu lançou dois singles e um álbum. Saiu em duas longas turnês promocionais e não mostra sinal algum de parar tão cedo. É interessante saber o que mais o homem de mil talentos e extremamente versátil, Kiyoharu, fara em seguida! (Texto do LAST.FM)

Gosto muito desse artista! Fui conquistado com o album VINNYBEACH – Kakuu no kaigan-, cheio de hits, como bye bye, slow, cold rain, travel e dance, que trago para este Top 50!

Outras músicas favoritas:
• sora
• Aurora
• Yuiitsu Tooku E

 

chasefaster

chasefaster

Me chamo Edu D’Angelo, mais conhecido como Chase Faster! Nasci em Outubro de 1984 (Libra com ascendente em Libra) e sou um Proudly Nerd assumido! Sou apaixonado pelo universo Geek (Action Figures, Comics, Animes, Filmes dos Anos 80, Seriados antigos, Teatro, Circo, Exposições e Shows) e desde 2006, crio um Setlist mensal com as músicas que mais ouvi naquele mês. Dez anos depois, estou aqui relatando tudo o que venho vivenciado por São Paulo, com muita nostalgia oitentista.