#29 Togenkyo (Kagrra,)

Conheci essa banda ouvindo umas músicas randômicas numa época, lá pra 2004… Meu amigo gravou algumas músicas num CD (incluindo músicas de anime e uns J-Rock perdido como Siam Shade, L’Arc~en~Ciel e Dir en Grey). Tinha o album Miyako do Kagrra, que foi “paixão na primeira ouvida”(Adoro esse termo rs). As músicas tinham um “quê” de Japão antigo, feudal, muito gostoso de ouvir! Trago para este Top 50 de J-Rock, a música Togenkyo, desse mesmo album. Espero que curtam! Ah!! Este post está recheado de capas dos singles/albuns da banda, acho lindo demais essas artes!




Kagrra, é uma banda japonesa formada em 1998 em Tóquio no famoso selo independente Key Party sob o nome de CROW. Por volta de 2000/2001 eles já não faziam mais parte da Key Party e mudam o nome da banda para “Kagrra” e mais tarde “Kagrra,” (com essa vírgula depois do nome). Kagrra, é uma alteração da palavra japonesa 神楽 – kagura – que significa “música dos deuses”. Em 11 de novembro de 2010, é anunciado em seu website que, após seu show no C.C. Lemon Hall em Shibuya no dia 3 de março de 2011, iriam encerrar suas atividades como Kagrra,.

A banda ao longo da carreira vêm desenvolvendo o estilo “neo-japanesque”, denominação criada pela própria banda, para definir seu estilo que busca transformar a música contemporânea em algo o mais japonês possível com a adição de belos arranjos e intrumentais típicos da música tradicional japonesa. E sem largar a tradição da sonoridade visual kei típica, bastante influenciados pelos ícones noventistas, o que era mais marcante nos primeiros lançamentos da banda.

As letras são escritas por Isshi, que muitas vezes se utiliza de kanjis antigos, atualmente já em desuso no Japão. As letras falam de romances perdidos, além de contar histórias que nos remetem à um Japão antigo, onde homens conviviam com deuses e demônios.

Vocal: Isshi [Falecido]
Guitarra: Akiya
Guitarra: Sin
Baixo: Nao
Bateria: Izumi


Tudo começou em Hokkaido. Nao e Izumi estudavam na mesma escola, mas não eram muito amigos. Então, Izumi entrou para uma banda da mesma escola, e nesta banda Nao tocava baixo, e foi aonde ficaram amigos. Em busca de melhorar suas habilidades como baterista, Izumi, após terminar o colegial, foi para Tóquio estudar em um conservátorio, onde conheceu Isshi e resolveram montar uma outra banda.

Enquanto isso, Nao ficou em Hokkaido sem tocar em lugar nenhum, até um dia em que Izumi ligou, perguntando se Nao estava interessado em se juntar a ele e Isshi. Nao não soube o que responder, então Izumi mostrou a demotape por telefone, o futuro baixista gostou e decidiu ir pra Tóquio depois de conversar com sua família e receber o apoio do irmão mais velho, que lhe ensinara a tocar baixo. Então, os dois, além de tocar na mesma banda, moravam juntos em cima de uma loja de ramen, do tio de Izumi, que segundo o próprio era um local onde cabiam 12 tatames. Eles passaram por dificuldades, pois não admnistravam bem o dinheiro que recebiam da família e às vezes passavam fome.

Por dois anos eles ficaram nessa situação, até que resolveram dar um tempo na banda e ficaram separados por um ano e meio. A banda se reuniu e decidiu que precisavam de dois guitarristas, então espalharam anúncios e receberam um telefonema de dois guitarristas que queriam entrar nessa nova banda.

Shin e Akiya se conheceram em uma banda que havia terminado e estavam procurando, separados, por uma nova banda, até que um dia se encontraram por acaso, quando liam um desses anúncios espalhados pelo Kagrra,. Os dois resolveram ligar juntos, e então marcaram de encontrar com Isshi pra que pudessem se conhecer, mas Isshi não pode ir (pois estava dormindo), então ele ligou para Nao e pediu que fosse em seu lugar. Ao chegar no lugar, Nao pensou que os dois guitarristas eram bandidos, pois tinham a pele bronzeada e se vestiam como surfistas.

Depois de algum tempo de conversa, foram se encontrar com o resto da banda. Naquele mesmo dia ficou evidente que aquela seria mais do que uma banda, seria um grupo de amigos. Infelizmente o vocalista morreu inesperadamente em 2011, chocando os fãs.

Ilusões do inverno


Na escuridão branca, o azul dançante
O mundo morrendo graciosamente
O frio ligeiramente derretido
E eu questiono meu coração


O céu esta noite não está nem nublado nem estagnado
Se não fosse para todos estes sentimentos eu teria derretido também
Mesmo um suspiro, e a cor desbotam
Mesmo que essas lagrimas estejam congelando


Mesmo o frio seja tingido com piedade
E eu questiono minhas memórias
O céu esta noite não está nem nublado nem estagnado
Se não fosse para todos estes sentimentos eu teria derretido também


Então de repente quando você olha, é brilhante, 
e os flocos de neve estão se transformando em chuva.
O céu esta noite não está nem nublado nem estagnado


Se não fosse por todos esses sentimentos, eu iria abraçar você
Se não for por esta palavra que é como um murmúrio
Eu poderia ter mudado de forma
E ter gentilmente me absorvido nessa terra vasta



Outras músicas favoritas:
• Satsuki
• Urei
• Majinai

 

chasefaster

chasefaster

Me chamo Edu D’Angelo, mais conhecido como Chase Faster! Nasci em Outubro de 1984 (Libra com ascendente em Libra) e sou um Proudly Nerd assumido! Sou apaixonado pelo universo Geek (Action Figures, Comics, Animes, Filmes dos Anos 80, Seriados antigos, Teatro, Circo, Exposições e Shows) e desde 2006, crio um Setlist mensal com as músicas que mais ouvi naquele mês. Dez anos depois, estou aqui relatando tudo o que venho vivenciado por São Paulo, com muita nostalgia oitentista.