[TEATRO] Ato a Quatro (Teatro Eva Herz – Conjunto Nacional)

Nessa quinta-feira, dia 4 de Agosto, conferi a estreia do espetáculo “Ato a Quatro”, no Teatro Eva Herz, com direção de Bruno Perillo e texto de Jane Bodie. A história gira em torno do relacionamento desgastado entre Tom e Alice. Cada um com sua vida e os desencontros entre ambos, mesmo morando na mesma casa. Em 25 pequenas cenas, o desgaste da relação é tratado de forma bem sutil, tensa e (por que não) encantadora? Com toque de humor e ironias.

Alice (Nicole Cordery), uma ex-atriz, dedica horas de sua vida ao tratamento voluntário para/com idosos, auxiliando os, como se fosse uma enfermeira. Jack (Edu Guimarães) é outro enfermeiro, meio esquisito, com problemas de dicção, porém, com um ar inocente. Tom (Luciano Gatti), um ator, está ensaiando para a sua próxima peça, com a sedutora Natasha (Carolina Mânica), uma atriz atraente e determinada. O espetáculo explora a relação entre os quatro, suas vidas, seus pensamentos, suas filosofias de vida, seus medos, paixões, desejos e objetivos.

ATO_078

Me identifiquei muito com os personagens em vários momentos. Achei um carisma fora de série. É daquelas peças que você se vê no personagem e fica pensando se faria o mesmo que ele. A autora, Jane Bodie, utiliza o recurso da dramaturga britânica contemporânea, ou seja, fragmentação da estrutura em cenas curtas, alternadas entre os personagens. E não é que funciona? Adorei este dinamismo. De uma cena para outra, a história não perde o seu pique.

A montagem é constituída de 25 cenas curtas, passadas em locais diferentes, exigindo um ritmo preciso entre as trocas de cenas, para descaracterizar o realismo, imprimir velocidade quando necessário e para que as pausas e os silêncios possam fazer sentido. O cenário é simples, traz uma cama redimensionada, que é compartilhada pelos quatro personagens em diferentes ambientes: quarto de Tom e Alice, quarto de Natasha, quarto e casa de Jack e o local de trabalho de Alice e Jack. Além da cama, o palco é ocupado por quatro cadeiras, uma pequena mesa e um espelho. A cenografia é completada por uma série de projeções de imagens inseridas em paredes ao fundo ou na lateral, no piso, nos figurinos e nos corpos dos atores. Além de ser regada por uma trilha sonora envolvente e a iluminação focando os elementos chaves das cenas.

“Ato a Quatro” é uma comédia dramática sobre a solidão do homem, em sua incapacidade de ser livre num ambiente global nunca tão próximo e tão conectado. Os personagens parecem não se comunicar. Muitas vezes falam, mas não se olham. Aproximam-se, mas não se tocam. O público se identifica imediatamente com as personagens e com as situações. Aos poucos, entretanto, vêm à tona temas atuais como a solidão, o medo, o desejo insaciável e descartável, a obsessão pelo Eu, o voyeurismo e o ressentimento. Vale a pena conferir!

A peça tem duração de 75 minutos, aberto de terça a domingo no Teatro Eva Herz, na Livraria Cultura (Conjunto Nacional) da Avenida Paulista. Fica em cartaz até 8 de Setembro! (Fotos de Carla Trevizani)

ATO_081

chasefaster

chasefaster

Me chamo Edu D’Angelo, mais conhecido como Chase Faster! Nasci em Outubro de 1984 (Libra com ascendente em Libra) e sou um Proudly Nerd assumido! Sou apaixonado pelo universo Geek (Action Figures, Comics, Animes, Filmes dos Anos 80, Seriados antigos, Teatro, Circo, Exposições e Shows) e desde 2006, crio um Setlist mensal com as músicas que mais ouvi naquele mês. Dez anos depois, estou aqui relatando tudo o que venho vivenciado por São Paulo, com muita nostalgia oitentista.